Translate this blog!

sábado, 26 de janeiro de 2013

A importância dos vídeos antigos

Quase todo mundo diz que suas referências são as bailarinas egípcias e que Souhair Zaki e Samia Gamal são suas fontes de inspiração. Mas quem será que realmente as estuda, assim como várias outras bailarinas antigas?

A ideia desse post não é enaltecer uma ou outra bailarina, que já estamos carecas de vê-las sendo idolatradas. Mas sim discutir a importância de se estudar vídeos antigos para nos inspirarmos e estudarmos sim a Dança que fazemos. Existem vários canais no youtube que postam filmes antigos, bailarinas, etc. Vamos entender o por quê de estudá-los:

- É bem constante esses vídeos se passarem em ambientes que reproduzem a realidade árabe. Isso inclui figurino, música, comportamento, expressão. Torna-os excelente fonte de inspiração para cenários, vestimenta:


- Oportunidade de tentar entender mais os folclores, já que o Reda colocou muito ballet nos mesmos. Não que os filmes os representarão fielmente (até porque o Reda coreografou alguns), mas pelo menos, temos acesso a leituras diferentes:


- Por mais que muitas estudantes/bailarinas de DV ainda não apreciem as bailarinas antigas, elas tiveram importância fundamental não apenas na divulgação da dança árabe, mas foram pioneiras e criadoras de muitos movimentos que utilizamos hoje, sem dúvida. Fora que podemos tentar captar a expressão, poses e sensualidade típica delas. Quem nunca aprendeu o soldadinho (ou cavalo) da Suhair Zaki (2:06-2:11)?


- Descobrir que aquela música "nova" da moda, na verdade, é mais antiga que você pensava! Ou você achava que "Emta Omri" era apenas instrumental? Nesse vídeo, um exemplo de uma música ("Min hob") que foi bastante dançada em 2012 (na minha opinião), mas Naima Akif já tinha balançado os quadris com ela:


Agora, vamos às coisas ruins desses videos:

- Braços nunca foram o forte destas bailarinas mais antigas. No workshop que fiz com o Gamal Seif, ao discutir braços dentro da DV, eu perguntei a ele porque as egípcias não usavam tanto os mesmos e ele respondeu: "Quem disse que elas trabalhavam braços?" Existem muitos vídeos para ilustrar, mas escolhi esse para mostrar o que NÃO se deve fazer com os braços ao dançar:


- Homens babando e o destaque a peitos, pernas, caras e bocas de forma meio apelativa aparece, às vezes, mesmo entre as famosas:


A ideia desse post é fazer vocês tentarem buscar o que há de bom nesse vídeos, tentando filtrar o que você pode achar estranho. Consulte profissionais caso haja dúvidas sobre qualquer um desses tópicos! Não que os vídeos atuais sejam muito melhores que os antigos. Evolução existe e é bem-vinda, mas infelizmente, ainda vemos muita coisa ruim.

Bons estudos!
Bauce kabir,
Hanna Aisha

5 comentários:

  1. Muuuuito bom esse post!!!
    é bem isso mesmo! as vezes achamos tão mais fácil buscar um workshop de pessoas que estudam as bailarinas antigas do que buscar os vídeos e estudá-las diretamente!!!

    Graças a Deus, Youtube tem nos ajudado muito hoje em dia com essa questão!!!

    bjs

    ResponderExcluir
  2. É, com certeza importante estudar as ORIGINAIS e de fato isso tá um tanto quanto 'esquecido' hoje em dia, o que não devia acontecer, principalmente quando a cultura original não é nossa. Mas também buscar sim as coisas 'melhoradas' como os braços e até os instrumentos adicionais etc. Os árabes não tem problema com as bailarinas exibirem as pernas (o que elas sempre exibiram muito) e sim o umbigo! Nesses vídeos, todas elas estão com o umbigo escondido... :) gostei do post e observações!

    ResponderExcluir
  3. O Gamal é excelente. Não duvido disso. Mas as vezes fala umas coisas sem sentido. De onde ele tirou essa ideia de que as antigas não trabalhavam braços? As vezes fico achando que esse povo ou fala asneira por distração ou foi erro da tradução...
    Dois exemplos, tá? Só pra ilustrar....
    Taheya Carioca: trabalha os braços em molduras simples, mas nem sempre tão limpa para os PADRÕES ATUAIS. Observe nesse vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=eULzrK4On9I Da entrada à finalização, seus bracinhos posicionados, envolvendo o rosto, dando ênfase à expressão. Estudar Taheya é um baita exercício de fortalecimento para braços porque, na maioria do tempo, eles permanecem altos - e isso né fácil não.
    Naima Akef: como negar a beleza dos braços bem posicionados, alongados e sensíveis dessa mulher? http://www.youtube.com/watch?v=_vxubCYWT8I
    Eu te digo, estudo bailarinas da Golden Age há anos e a maioria esmagadora delas trabalhavam braços muito bem. Até a Samia Gamal, de quem ouvimos falar sobre o assunto com certa ironia, tem colocações bem inteligentes e bonitas para seus bracinhos.
    Beijos fulô!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lory

      Não foi erro de tradução, eu perguntei em inglês e entendi isso mesmo. Continuo achando que elas trabalhavam pouco os braços sim e acho que a Naima Akef é uma exceção pois ela tinha formação de ballet, bem diferenciada das outras.

      A ideia aqui era falar também de vídeos antigos generalizados, não só os da Golden age e foi baseado nesses vídeos todos, que pensei nesses tópicos.

      Beijos e volte sempre!

      Excluir
    2. Flor, a Badia, até onde estudei e sei, obrigou todas as principais dançarinas do Opera a fazerem aulas de ballet clássico, logo nós veremos influência dos braços emoldurados do ballet em todas as grandes estrelas que por lá passaram. Uma coisa é dizer que elas trabalhavam pouco os braços, outro é dizer que não o faziam... mas dá pra entender: o Gamal é cria do Reda...
      Não me entenda mal. Seu post é super pertinente, mas essa colocação do Gamal realmente me deixou inquieta...

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...