Translate this blog!

terça-feira, 29 de março de 2011

Bailarinas do Zahra Sharq 2011

Olá!

Venho aqui divulgar as bailarinas que, além da Hadara Nur, Jannah El Havanery e Grupo Osíris, vão engrandecer o Zahra Sharq 2011!
 

Adrielli Brites - Cia Zahra Sharq


Elaine Rollemberg - Jaqueline Campos

Luciana Midlej - Nadja Al Baladi - Natália Trigo


Shaira Sayaad - Virgínia Njainne

Espero vocês lá!

Bauce kabir,
Hanna Aisha



quarta-feira, 16 de março de 2011

Shaabi

Revisto e reescrito dia 16/04/15.

Olá!

Shaabi, assim como o tarab, são expressões egípcias muito características e que só, recentemente, a gente, no Brasil, está começando a entender o que realmente são. Já comentei sobre o shaabi em outro post, mas aqui eu quis falar mais e mostrar mais videos pra gente focar no tema.

Já escreveu Roberta Salgueiro (blog que todo mundo copia para falar sobre shaabi mas a fonte principal é esta aqui), que o mesmo nasceu dentro das classes D e E e junto da influência da música rural, o shaabi tornou-se a versão mais urbana e popular do baladi com a ajuda da difusão das fitas cassete nos anos 60 e 70. É sempre cantada e as músicas falam sobre o cotidiano dessas classes, com sátiras, duplo sentido, letras debochadas ou com conotação sexual:


O shaabi chegou às classes altas com letras mais suaves, podendo agora ser dançado por mulheres. Se você quer representar um shaabi autêntico, não deve estar preocupado em seguir a música, apenas dançar espontaneamente, sendo o menos complexo possível, permitir-se. Os maiores cantores atualmente no Egito são o Hakim e o Saad el Soghayer, mas é importante saber que Ahmed Adaweya foi um dos pioneiros e quem criou várias músicas conhecidas nossas. Aliás, acho que ele merece um post só dele!


Pensando em um shaabi para palco, nesse video eu danço uma música que trata do casamento e da "alegria de se casar". Por isso entro com um buquezinho... ah sim, mega importante vocês saberem as letras justamente para poderem expressar na dança o assunto tratado e também saberem se não estão sendo chamadas de "mulher-melão"... lembrete reforçado pela professora egípcia Raqia Hasan.


Sobre a roupa, vai depender: você pode apresentar com a roupa típica do baladi, a ghalabya e assim reforçar seu caráter tradicional ou dançar com uma roupa de DV. Vai ficar bem harmoniosa se você escolher uma música mais moderna. Mas, claro, não é regra. Aliás, é importante entender que não há regras no shaabi, apenas entendimento de que ele é uma dança espontânea e natural, como o ghawazee.

Tenho visto em videos de workshops que mesmo os egípcios têm ensinado um shaabi beeeem diferente do real com muita postura, arabesque, giros... é o tal shaabi das classes altas. Nour e Orit Maftsir costumam dançar shaabi assim:


This is real shaabi, baby!


Reparem que tronco e braços basicamente inexistem, como no baladi que a gente conhece. Muitos shimmies, ondulações e redondos; e muita descontração, alegria e espontaneidade... O shaabi ainda é executado em áreas pobres, como em um casamento em que todo mundo dança junto e segundo a Raqia, ele só existe no Cairo e em Alexandria. Aliás, ela recomenda que não se use snujs ou qualquer acessório... mas eu não vejo por que usar snujs não combina. Quem me dera poder participar de uma festa dessas; mas pelo o que eu soube lendo ou conversando, estrangeiras (e nem locais) podem ir...


Não se espantem caso vejam uma apresentação do chamado "street shaabi". Algumas bailarinas já fazem isso há um tempo e essa expressão é bem masculina e alternativa, menos purista, digamos assim, e mais ocidentalizada. Tá valendo! O mundo é globalizado!


Gostaram do texto?

Bauce kabir,
Hanna Aisha

quinta-feira, 10 de março de 2011

Acho que estou atrasada...

Confesso que não lembro qual e quando foi a conversa que tive recentemente e soube que tem professora que faz o seguinte: quando alunas interessadas em determinado tema ou tópico de DV perguntam sobre o mesmo à respectiva professora, ela organiza um workshop para dar o tema cujas alunas tinham dúvidas ou queriam saber mais a fundo.

PERALÁ! Me "alumiem"... DE VERDADE.

Isso é realmente comum?
Isso é legal, normal, as alunas não ligam?
Não parece enganação/ enrolação?
Faz parte da profissão?
Eu estou atrasada com relação a isso?

Se é comum, legal, normal, as alunas não ligam, faz parte da profissão, que não é enganação/enrolação e eu estou atrasada com relação a isso, ok. Vou pensar em começar a fazer isso também... estou perdendo $!!! Não é?

Sem beijos hoje,
Hanna Aisha

quarta-feira, 9 de março de 2011

Zahra Sharq 2011 - primeira chamada!

Queridos leitores!!! Agora que o carnaval está acabando, voltemos ao trabalho!

Como comecei a divulgar há um tempinho atrás, esse ano o Zahra Sharq que, com muito prazer, receberá a minha querida amiga bailarina Hadara Nur (SP) como convidada especial! Além disso, teremos a bailarina Jannah El Havanery de Santos-SP e suas alunas como participação especial!


Para quem não sabe (e para quem gosta), as duas são bailarinas com padrão Khan el Khalili e são campeãs da categoria profissional no Mercado Persa em SP.

Hadara Nur:


Jannah el Havanery:


As duas ministrarão workshops no dia 21 de agosto (domingo) que em breve, divulgarei com mais detalhes aqui mesmo no blog e no meu multiply. O show será dia 20 de agosto (sábado) e contará com bailarinas super especiais da cidade do Rio de Janeiro:

Adrielli Brites - Cia Zahra Sharq - Elaine Rollemberg - Jaqueline Campos - Luciana Midlej - Nadja El Balady - Natália Trigo - Shaira Sayaad - Virgínia Njainne

Espero ver vocês lá em um show dinâmico, variado e cheio de qualidade! Quem já foi sabe o quanto é gostoso! Ainda tenho DVDs dos shows passados, 2009 e 2010.

Bauce kabir,
Hanna Aisha

quarta-feira, 2 de março de 2011

Estilo Argentino de DV

Post revisto e reescrito em 19/12/13

Me perdoem as admiradoras da Saida e do estilo argentino: não sei, não estudo, não consigo e não quero dançar como elas. Ainda bem que tem gosto pra tudo. Mas admito sua influência em nós, brasileiras. Inclusive em mim.

Ostentação: é a palavra que definiria o estilo argentino (que a Madame Raqia tanto odeia publicamente!). Strass, plumas, peruca, megahair, luzes, cílios enormes, cores vibrantes, maquiagem pesada e... o jazz! O Jazz está muito bem misturado com a técnica oriental e sim, nós "copiamos" isso delas! 


Eu diria que a principal escola no Brasil a propagar esse estilo foi (ainda é) a Luxor:


Tenho a impressão de que elas querem ocupar o palco inteiro com tanto giro, pulo, pé pro alto, arabesque, muitos braços, corpo alongadíssimo e com os próprios acessórios. Me lembra quase circo. [Já perceberam que não gosto, certo?] Aliás, acessórios modernos como wings, véu poi, fan veil são com elas mesmas!


Agora, não é de todo ruim (:-P); é uma boa fonte de estudos se você quiser incrementar sua dança com elementos surpresa. Claro, que esse estilo "glamuroso" se estende aos homens argentinos:


Olha que vídeo legal sobre o estilo:


Bons estudos! Visita esse post também!

Bauce kabir,
Hanna Aisha
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...