Translate this blog!

quinta-feira, 30 de maio de 2013

5a. edição do Zahra Sharq - Flores do Oriente: Esmeralda (SP) no RJ!

Pessoas,

Achei que ia me "livrar" de fazer evento esse ano, mas por conta de circunstâncias aleatórias, aqui estou divulgando a 5a. edição do evento! E quem vem estreiar na cidade do Rio de Janeiro?





Aliás, vocês sabiam que foi por causa da Esme que eu criei a coluna do blog "Desconstruindo leituras"?


QUER RECEBER INFORMAÇÕES PELO FACEBOOK? Curta a FanPage do evento!

O show com a Esmeralda (SP) ocorrerá dia 31 de agosto, às 19:30h e contará com as bailarinas convidadas Aisha Hadarah, Cia Zahra Sharq, Dalilah Zhuk, Elaine Rollemberg, Eliza Fari, Grupo Hátor, Natalia Trigo, Nilza Leão, Rayza Telo e Samara Nyla, além da produtora Hanna Aisha.

Os ingressos antecipados custam R$ 25,00 e podem ser comprados nos seguintes pontos de venda:

Art Hair (Botafogo)
Escola Kelimaski (Tijuca)
Espaço Hátor (Vila da Penha)
Espaço Chandra e Surya (Tijuca)
Espaço Soy y Luna (Tijuca)
Estúdio El Said (Realengo)
Kebelek Danças (Niterói)
Oriental Studio (Jacarepaguá)

ou por depósito bancário (solicitar por email).

O workshop com a Esmeralda ocorrerá dia 01 de setembro e terá duração de 3 horas, de 10 às 13h. O tema é "Al-Rakissa - os 4 pontos cênicos e seus respectivos movimentos técnicos: onde se trabalha posicionamento cênico (palco) frente, costas e diagonais com movimentos específicos para cada" e custa R$ 125,00, incluindo certificado. O curso é para todos os níveis de bailarinas/alunas. O pagamento só poderá realizado através de depósito bancário ou pessoalmente com Hanna Aisha (9152-2389).

As inscritas no workshop concorrerão a um book feito por Aisha Hadarah, um dos nossos apoios, além de outros brindes!

Em caso de desistência do show ou do workshop, não haverá devolução do valor. Caso haja desistência do workshop após o depósito, é possível ser substituído avisando a produção, antecipadamente, até o dia 25 de agosto de 2013. Após essa data, não será mais possível a substituição.


As inscrições vão até dia 29 de agosto ou até as vagas acabarem!

O atelier Gil Modas e Com Maquiagem estarão expondo seus produtos no dia do show.

O show e o workshop ocorrerão no Teatro Marista São José, na Rua Conde de Bonfim, 1067 no bairro da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ.




Aisha Hadarah - Cia Zahra Sharq



Dalilah Zhuk - Elaine Rollemberg



Eliza Fari - Grupo Hátor




Natalia Trigo - Nilza Leão



Rayza Telo - Samara Nyla

Quer ver como foram os eventos passados? Clica aqui, aqui e aqui.

Nos vemos lá!
Bauce kabir,
Hanna Aisha

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Fifi Abdo: para estudar


Uma das minhas bailarinas preferidas e referência de dança. Alegria, espontaneidade, presença, carisma e um quadril poderoso. O melhor quadril de todas da Golden Age. Esse vídeo é um clássico por sua linda leitura do alaúde:


De origem humilde e autodidata, foi descoberta por um músico, trabalhando como empregada doméstica e teve carreira meteórica. Extremamente cativante, ela é considerada a quarta pirâmide do Egito. E de onde você acha que vem essa história de galabia branca para o baladi com lacinho na cabeça?


Aliás, o vídeo acima ilustra como ela influenciou e continua influenciando as bailarinas. Percebeu quantos trejeitos dela são copiados? Assim como a Nagwa Fouad, ela participou de muitos filmes:


Muito shimmie de quadril, shimmie de ombro, oitos variados, básico egípcio, redondo grande, camelos... ou seja, a essência da dança árabe feminina:


E voltando ao seu quadril poderoso; para mim, o mais solto de todas. Aqui, nesse vídeo, curiosamente, ela dança um tarab:


Fifi Abdo é a prova viva de que uma bailarina pode dançar "simples" e conquistar o público se aliar uma expressão carismática e natural em vez de piruetas, arabesques e giros em excesso:


Já ouviu o podcast sobre ela? Veja mais aqui e um lindo texto escrito pela Joana Saahirah.

Adaptado das fontes: Cadernos de Dança, Dança do Ventre Brasil, Márcia Mignac.

Bauce kabir,
Hanna Aisha

sábado, 11 de maio de 2013

Desconstruindo leituras (13)

A Eduarda Garcia, me mostrou esse vídeo abaixo dizendo que lembrou de mim já que eu procuro leituras diferentes (fofa!). Como ela mesma disse, a Autumn lhe dá esperança com relação às norte-americanas heheheh. E não é que coube nessa coluna do blog?


Bauce kabir,
Hanna Aisha

sábado, 4 de maio de 2013

Zaffe Libanês

Diante da minha ignorância com relação à recente coreografia que o Grupo Hátor apresentou no concurso de grupo folclore no MP desse ano, pedi para que a Elaine Rollemberg, minha amiga e coordenadora do grupo, criasse um texto sobre Zaffe Libanês para eu colocar aqui no blog. Apreciem!

Créditos da foto: Leonardo Martins
"A primeira vez que ouvi falar sobre o Zaffe Libanês, já há uns quatro anos, foi através do bailarino e professor Tufic Nabak em um workshop sobre folclore libanês. Ano passado, em 2012, quando estive no Líbano participando do Amani Oriental Festival ao lado de Tufic, pude presenciar apresentações de Zaffe feitas no teatro durante o festival. E eram muitas! Percebi que era algo muito comum, trabalhado performaticamente. Fiquei fascinada com a força e alegria contagiante das coreografias. O figurino e movimentações bem peculiares me instigaram a investir no estudo deste folclore tão pouco difundido no Brasil:


Conversei sobre o assunto ainda no Líbano não só com o professor Tufic, mas também com profissionais disponíveis nesse festival. Com as informações que então obtive, somadas à minha pesquisa sobre grupos de dança libaneses importantes no Líbano e representantes da cultura no mundo (como Caracalla e Ahlam Group), cheguei a uma breve explicação para os interessados em aprender sobre o estilo. Minha principal fonte, o Ahlam Group:

Clipe musical:


Teaser de espetáculo no Teatro:


O Zaffe, famoso cortejo feito aos noivos nos casamentos árabes, especificamente no Líbano, é realizado com muita alegria e exaltação, com muita música e dança. Há sempre um grupo de bailarinos contratado para fazer a apresentação dos noivos. Essa apresentação é sempre muito performática e teatral. Aqui cabe uma ressalva: "O folclore Libanês é muito teatral!"

Os noivos representam papéis majestosos perante a festa. É como se fossem o rei e a rainha. Os bailarinos representam seus súditos, soldados da guarda real a proteger, saudar e homenagear a realeza. Por isso elementos de lutas – com lanças, espadas e cimitarras – são sempre utilizados nos zaffes. A movimentação é forte, brutal e impactante, mas feita com muita alegria e exaltação. A representação de uma Corte remete ao período medieval; por isso, a vestimenta se refere de uma forma mais específica ao retrato da época.

Créditos da foto: Leonardo Martins
As músicas utilizadas para o Zaffe libanês são dabkes fortes, alegres e muito populares no Líbano. Por essa razão, encontramos no Zaffe muitos passos de Dabke. Tradicionalmente os grupos de performance eram formados por homens; só depois as mulheres foram entrando.

Esses grupos podem apresentar os noivos de variadas maneiras. Os homens vêm sempre à frente, dançando; ao final trazem o noivo e em seguida vêm as mulheres dançando e trazendo a noiva. Entra o grupo todo e depois segue-se a apresentação dos noivos. Vários pontos podem ser diferentemente trabalhados a partir da criatividade do coreógrafo. Na participação feminina, cabem utilizações de véus (simples, sem rebuscamentos, no caso de elas dançarem junto dos homens). Pode haver apresentações mais específicas femininas, mas aí é feito adendo da programação musical, a título de enriquecer ainda mais a performance. É possível ainda aparecer candelabros (dançados com o ritmo zaffe que conhecemos), bailarinas de ventre e mais.

Apresentações libanesas em casamento:


Nos teatros, o Zaffe mantém essa representatividade de "Súditos e Guarda Real". Apesar de terem o dabke como base musical e alguns movimentos semelhantes ao dabke, se diferem na forma da apresentação e sua representatividade:


Como um resultado do estudo, montei junto ao meu grupo de alunos, o Grupo Hátor de Danças Árabes, uma coreografia sobre o estilo, que foi apresentada no Mercado Persa neste ano de 2013. Acho que fomos o primeiro grupo no Brasil a apresentar este estilo. Espero que gostem!"

Grupo Hátor de Danças Árabes


Bauce kabir,
Hanna Aisha
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...