Translate this blog!

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Para estudar e entreter

Oi, povo estudioso

Está à venda o DVD do meu show "Zahra Sharq - Flores do Oriente" 2010 com Fabiana Tolomelli e convidadas da cidade do Rio de Janeiro. A edição é belíssima e as performances bem variadas e caprichadas a R$ 20,00 cada um!

Comprando o DVD do "Zahra Sharq" 2009 com Maira Magno, os dois saem por R$ 30,00!

Seguem as programações abaixo:
2010

1. Fabiana Tolomelli - Clássica Libanesa
2. Hanna Aisha - Shaabi
3. Luciana Nogueira - Tarab
4. Jaqueline Campos - Tribal Fusion
5. Najla Al Hafsa - Clássica Egípcia
6. Haynna Al-mudarissa - Solo de percussão
7. Samra Sanches - Said com bengala
8. Elaine Rollemberg - Fan Veil
9. Izabel Moratti - Dança Flamenca
10. Eliza Oliver - Tarab
11. Shaira Sayaad - Clássica Egípcia
12. Bianca Gama - Ghawazee
13. Zahra Li e Fabricio Dabke - Derbacke ao vivo
14. Hanna Aisha - Solo Oriental Tradicional
15. Fabiana Tolomelli - Khaliji dos Emirados



2009

1. Maira Magno - Clássica egípcia
2. Luiza - Tradicional
3. Hanna Aisha - Said libanês
4. Jaqueline Campos - Tribal Fusion
5. Renata Nawal - Clássica egípcia
6. Maira Magno - Meleah/Baladi
7. Aglae Lima - Dança Indiana
8. Cia Dahab - Dança das Flores
9. Fabíola Mattos - Dança com Pandeiro
10. Elaine Rollemberg - Clássica egípcia
11. Carol Schavarosk - Tribal Cabaré
12. Dahab - Moderno
13. Hanna Aisha - Clássica libanesa
14. Maira Magno - Dabke


Bauce kabir,
Hanna Aisha

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Estilo Libanês de Dança do Ventre

Post revisto e reescrito em 16/04/16

Aqui no Brasil, o estilo libanês de Dança do Ventre ainda é bem pouco conhecido e muito menos praticado. À primeira vista, eles são bem parecidos, mas existem certas características que o diferencia do estilo egípcio, que é o mais comum entre as bailarinas, além do norte-americano e argentino, que utilizam muito o jazz. As músicas com leitura libanesa costumam ser mais impactantes, com um Dabke comumente em algum momento da música.

As bailarinas costumam ser muito mais interativas com o público, os movimentos de quadril são mais fortes e o sapato alto, é obrigatório. Não sei por que (alguém me explica?). Mas vejamos a eterna Samara:


A leitura musical é diferente e o espaço é mais utilizado também, com muitos giros, camelos, tranquinhos e twists. Nossa inconfundível Amani com seu famoso "oito de corpo todo":


As roupas são menos discretas e/ou mais ousadas. Aqui, temos a famosa Howaida El Hashem:


Mais contemporânea que as de cima, temos a Sahara:


Cambrês enormes e movimentos no chão também fazem parte. A famosa Dina Jamal:


Hoje, as bailarinas brasileiras que trabalham para o empresário Omar Naboulsi representam esse estilo lá fora e as que voltaram pro Brasil, têm procurado difundir esse estilo (como Esmeraldah, Warda Maravilha, Fabiana Tolomelli). Nossa querida do Rio de Janeiro Élissar representa o estilo libanês atual com muitos cabelos e giros, além da ousadia de cantar em árabe. A expressão costuma ser muito mais extrovertida que a do estilo egípcio, pela própria roupagem das músicas mesmo.


Estilo libanês é alegria e entretenimento! É uma opção para quem não se identifica muito com a introspecção do estilo egípcio, tão bonito quanto. Ninguém é obrigado a gostar, mas que ele existe e tem crescido aqui, é inegável.

Olha que vídeo legal sobre o estilo:


Vai lá na Dunia e no Almanack para saber um pouco mais!

Bauce kabir,
Hanna Aisha
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...