Translate this blog!

sábado, 26 de novembro de 2011

Instrumentos mais comuns na DV para taqsim - parte 1

Inspirada pelo curso de Taqsim que ministrei na Escola Kelimaski em outubro, resolvi fazer um post mais detalhado sobre os instrumentos mais comuns encontrados em momentos de taqsim.

O momento de taqsim, como eu já disse, é o momento que um instrumento sola. Você, como bailarina, deve procurar traduzir o melhor que puder, o que aquele instrumento está te sugerindo, porém sem grandes deslocamentos (isso fica para a parte orquestrada da música, o lazmah).

Para começar, que tal lermos o que o tio Hossam diz para a gente (sorry, está em inglês)?

Resumindo um pouco a história, vamos dividir em 4 partes:

Família da Nay
Família do Qanoun e Alaúde
Família das Percussões
E Outros

Família da Nay

Instrumento egípcio fabricado a partir de talos de cana, está presente em todos os países árabes, comum para acompanhamento no recitar de poesias.

Movimentos fluidos, oitos, ondulações e expressão mais suave ou profunda combinam bem com os variados tipos de flauta nay. É um instrumento flexível. Geralmente, o som da nay é longo mas ele pode ser rápido, permitindo seu deslocamento, por exemplo. Shimmies podem ser bem-vindos, mas devem ser muito bem colocados na música.

Vamos ver a Aysha Almeé, que consegue traduzir de forma hipnótica a nay:


Mais sobre nay, aqui.

Bauce kabir,
Hanna Aisha

sábado, 19 de novembro de 2011

Solo de percussão - parte 2

Vamos continuar falando sobre percussão?

Em quem eu penso quando alguém menciona percussão? Henry Netto. Quem já o viu dançando ao vivo, sabe o que quero dizer... vídeos não mostram o que ele é no palco:


Bailarina e percussionista ao vivo

Quem já teve a oportunidade de dançar derbacke ao vivo, sabe que uma das principais coisas que se necessita ter é calma. Uma vez passado o nervosismo, interaja! Assim, é possível que o derbackista perceba seus pontos fortes e fracos e improvise uma música que te favoreça (imaginando que ele seja bom). Kahina e Pedro Françolin já trabalharam juntos algumas vezes:


Apesar de sabermos que não é improvisado, Jillina sempre é uma boa referência de segurança, calma e limpeza em derbacke:


No rol das gracinhas bem feitas e sem exagero, novamente, Esmeralda:


Quer saber mais sobre como dançar percussão? Dá uma olhada nas dicas do Hossam:

Dica preciosa: se não se garanta tanto, não invente de dançar aquela percussão longa que você acha maravilhosa; faça simples, mas faça bonito!

OBS.: Tem mais um post sobre percussão vindo!

Bauce kabir,
Hanna Aisha

domingo, 13 de novembro de 2011

Desconstruindo leituras (5)

Mais um deleite, a meu ver... vocês provavelmente já viram esse video no blog da Amar e/ou no meu twitter, mas não resisti em publicá-lo aqui também.

Eu já dancei e, particularmente, gosto muito dessa música "Alf Leyla" e nunca imaginaria uma performance como esta elaborada pela bailarina Flora Pitta. Parece que está na moda a DV teatralizada mesmo...


Bauce kabir,
Hanna Aisha

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Exposição na internet

Qual é o limite para se expor na internet?

Nem vou discutir aqui sobre redes sociais em geral, mas sim sobre nosso mundo bellydance, claro.

Quando a gente está com tempo e começa a passear pela internet em busca de informação, estudo, vídeos, etc, constantemente nos deparamos com excessos de fotos, videos e cartazes.

Eu sou totalmente adepta da utilização de emails, redes sociais, blogs e qualquer coisa para divulgar a minha pessoa, mas eu procuro medir bastante a quantidade de tudo isso porque sei o quão enfadonho é receber milhares de emails sobre a mesma coisa. Por partes:

- Fotos: Por que colocar TODAS as fotos que você tirou em TODOS os eventos? A partir de certo momento, as pessoas deixam de visitar seu perfil porque não vê mais novidade. Bom, falo por mim mesma. Eu deixo de visitar gente assim.

- Eventos: Importantíssimo divulgar os eventos em que você estará presente, mas TODO dia, não. Quem quer te ver mesmo, vai agendar e quem não quer, vai ficar de saco cheio da divulgação e começa a achar que você está desesperada. Logo, não precisa relembrar sempre. Relembre quando estiver mais perto.

- Vídeos: Por que colocar TODO e QUALQUER vídeo que você filma? Você realmente acha que dançou bem em todos eles? Se sim, que bom para você! Caso não, os vídeos podem mais te atrapalhar que ajudar na sua própria divulgação. Selecione melhor o que você quer vender. Aliás, mostrar sempre o que faz tira um pouco do encanto e as pessoas não ficam tão curiosas em te ver ao vivo, pois existe um mundo de vídeos seus no youtube...

Pontos positivos (claro que existem!), eu mesma tenho vários exemplos da internet:

- Conhecer gente e aumentar contatos: foi assim que conheci a Maira Magno e a trouxe para o Rio em 2009
- Ganhar adeptos e alunas: já ganhei aluna e "fãs"
- Divulgar seus eventos: sou grata à internet por ter público no meu show "Zahra Sharq"
- Avaliar sua popularidade pelo youtube

Pequena homenagem à Jessica que ficou feliz em me conhecer pessoalmente em Juiz de Fora - MG e disse ser "muito minha fã" (estranho esse negócio de fã, hehehehe) no evento do Tufic esse ano e à Vanessa, que se tornou minha aluna (aliás, superpremiada por aí!) após assistir meu show "A nujum al araabia" em 2008.

Quem quiser saber mais, pode procurar algumas dicas no blog da Vanessa.

Aproveitando a exposição... estarei lá!



Bauce kabir,
Hanna Aisha
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...