Translate this blog!

domingo, 30 de setembro de 2012

Aulas com outros professores

Vejo muita gente sugerindo que é muito importante fazer aulas com outras bailarinas/professoras. Eu também sugiro!

Quando eu comecei a fazer aulas de DV em 2000, não tínhamos muito acesso a tantos vídeos, blogs e sites sobre o tema. Conhecíamos o trabalho de outras bailarinas através de shows e VHS, principalmente. São Paulo era a grande fonte de boas bailarinas logo, o acesso era mais difícil para mim. Acredito que a dificuldade de acesso a outras profissionais (ou a falta delas) em muitas cidades ainda exista, mas com tanto vídeo e site e um pouco de investimento financeiro, é possível ter aulas com outras pessoas atualmente.

Eu fiz aula com a mesma professora por 7 anos seguidos, coisa praticamente inconcebível, por vários motivos, hoje em dia. Já falei sobre a importância da primeira professora e reforço que mais importante que ela, é você ter nesse início uma referência. Para quem, não conhece, essa foi a minha professora, Shaira Sayaad:


Depois de profissionalizar, eu senti falta (ainda sinto) de aulas regulares, mas infelizmente, até hoje não consegui me organizar para isso. Então sempre procurei fazer workshops, aulas particulares ou profissionalizantes. De qualquer maneira, eu procurei, obviamente profissionais que eu admiro e dentre os vários pelos quais passei, ainda encontrei novas referências, que são as minhas até hoje, seja no estudo ou em consultoria. Fiz apenas um workshop com Maira Magno (hoje, ela está "aposentada"), mas o que tive e tenho até hoje de consulta dela através de chat, não tá no gibi:


Fiz um curso profissionalizante com a Fabiana Tolomelli e Tufic Nabak, o qual é meu consultor de várias coisas até hoje, inclusive comportamento profissional:


Ainda existem várias inspirações minhas, com quem já fiz aulas pontuais. Mas onde quero chegar? Que para crescer tecnicamente e aprimorar seu modo de ver (até fazer) a DV é preciso sim, passar por diferentes professoras, pois todas elas têm diferentes conhecimentos e vivências. Também não é preciso fazer um workshop diferente por mês, mas, por um tempo, focar em um profissional e extrair o que você quer dele naquele momento. Mais importante ainda que conhecer diferentes didáticas, é você ter calma com seu próprio desenvolvimento e procurar absorver realmente o que você ouve por aí.

Boas aulas!
Bauce kabir,
Hanna Aisha

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Zahra Sharq 2012 - chave de ouro!


Essa carinha de alegria da Nur representa o que todos nós estávamos sentindo durante o show, que aconteceu dia 18 de agosto de 2012. Quem não foi, perdeu. Mesmo. Foi meu evento mais bonito. Apesar de eu ter estado todo o tempo na coxia, eu sabia que estava sendo lindo. O post da Lívia não desmente, foi um orgulho, acho que para todos os envolvidos.

Esse ano, resolvi não vender DVDs porque o retorno nunca é tão bom com as vendas. Contando com a ajuda de sempre do meu amigo de pós-graduação e hoje, professor da Escola de Dança da UFRJ, Roberto Eizemberg, coloquei os vídeos filmados e editados por ele no youtube (Canal ZahraSharq2012 - sugestão forte de ver na sua tela HD). Que tal começarmos pela estrela da noite? Não vou colocar vídeos de bailarinas convidadas para não parecer que preferi uma ou outra...


Ela ministrou um workshop muito didático sobre quadril, pena que pouca gente foi. 100% de satisfação, não foi meninas? Cariocada, ela volta em outubro, não perca a oportunidade!


Minhas meninas foram bem também e receberam elogios. Parabéns! O esforço e a dedicação resultam nisso, em aplausos sinceros e elogios:


Rafaela Alves veio como participação especial e também deu workshop de véu duplo:


Ah sim, gente, eu também dancei! eheheh Engraçado que as rotinas sempre foram uma coisa que gostei bastante mas ultimamente, têm perdido a graça para mim. Resolvi fazer uma para me desafiar tecnicamente e até acho que consegui fazer um trabalho, digamos, bom, para quem recentemente descobriu que é possível fazer bonito sem precisar de uma rotina (confesso que desafio maior foi o taqsim de saxofone):


Contei com muitos apoios esse ano e com um produtor, o Diego Cônti. Gente, é preciso entender de uma vez que qualidade, na maioria das vezes significa um preço maior e isso inclui preço de workshop, produção e de ingresso para o show. Mas, infelizmente, o pensamento do não-investimento, seja no próprio conhecimento ou no prazer de ver algo de qualidade ainda existe. E olha que sou SUPER justa com preço, quase boba!
Acho que escolhi muito bem as bailarinas pois cada uma no seu estilo e com suas diferentes performances me ajudou a construir esse evento (vai lá ver todos os vídeos!). Não sei se farei o Zahra Sharq ano que vem porque 2013 será meu último ano do doutorado e não gostaria de me comprometer com as pessoas e no desespero e falta de tempo, eu fazer um evento ruim. Eu preciso manter ou aumentar a qualidade, certo?

Nesse clima de satisfação e diante da incerteza de um próximo evento, posso dizer que fechei com chave de ouro!


Bauce kabir,
Hanna Aisha

sábado, 15 de setembro de 2012

Instrumentos mais comuns na DV para taqsim - parte 5

Como eu disse, esse será o último post sobre Instrumentos e Taqsim. Ufa.

Rabab

Jade El Jabel não podia ficar de fora desses estudos de taqsim e nesse vídeo ela fez uma leitura da rabab que gostei muito, apesar de ela não lê-lo diretamente. O que ela fez foi incorporar o sentimento que o rabab estava passando na música, mesmo ele sendo um instrumento bastante usado nas músicas folclóricas. O rabab aparece em 5:00 até o final:


Teclado
Imita qualquer instrumento e é muuuuuuuuuuuito utilizado hoje em dia, tanto ao vivo quanto em CD. Aqui a Saida lê o teclado (muito presente nas músicas do Mario Kirlis) em 2:12-2:24 e 3:22-3:56 (valeu Verinha!):


Voz
Você não achou que voz poderia ser um instrumento? Cai dentro dos sinuosos e da expressão! SIM, principalmente em músicas baladi e tarab.


Conclusão desses posts sobre instrumentos

De maneira ALGUMA, eu estudei e preparei esses posts querendo determinar regras. NÃOOOOO! A intenção foi de dividir impressões que não são só minhas com relação a esse tema, sobre as leituras corporais que caem melhor durante os taqsims. As bailarinas são livres para criar e como sempre digo para quem estuda comigo, fazendo bonito e de forma harmoniosa, tá valendo!

Para fechar essa compilação sobre taqsim, uma performance do grupo da Elis Pinheiro, com um taqsim lindo, em que vários instrumentos que estudamos aparecem. Enjoy:


Bauce kabir,
Hanna Aisha

sábado, 8 de setembro de 2012

Desconstruindo leituras (10)

Limpeza, precisão e um pouco de modernidade na leitura de uma música com um toque ultra tradicional:


Bauce kabir,
Hanna Aisha

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

DV e meio-ambiente

Tivemos a ECO-92 (eu lembro bem, tava na escola...), esse ano tivemos a Rio+20... e o que temos com isso, bailocas? Aparentemente, nada, a não ser refletirmos como cidadãos e se tivermos energia, participar de ONGs, projetos acadêmicos, etc. Ou não?


Dia 03 de setembro - Dia do Biólogo!

Como muitos aqui já leram no blog, sou bióloga de formação, mas nem por isso sou ecochata (nunca fui), mas coincidência ou não, sempre me incomodei com a questão do meio-ambiente. Não vou abrir mão de usar celular, desodorante, absorvente, papel, entre outras coisas. Mas percebi, há, pelo menos, uns 10 anos que talvez eu pudesse fazer alguma coisa. E comecei a juntar papéis usados de todos os tipos e levar para um posto de reciclagem da Comlurb (empresa que realiza a limpeza urbana na cidade do Rio de Janeiro). Hoje, não levo mais para lá, mas continuo juntando e dou para minha mãe, que dá para uma catadora de papel no bairro dela.

Não tenho ideia se os papéis que juntei nesses 10 anos resolveram alguma coisa. O que sei é que me faz perceber que realmente, juntos podemos fazer alguma coisa pelo planeta, mesmo que seja individualmente. Com certeza, é necessário que existam governos e empresas envolvidos nisso para fornecer dinheiro, pessoal e planejamento.

E a Dança do Ventre, que tem ela?

- Já pensou em quantos copos de plástico da sua escola de dança você já usou para beber água e jogou fora?
- Você usa lenço umedecido para limpar os pés após dançar?
- O quanto você realmente precisa de véus, maquiagem, bijuterias e roupas?

Soluções legais:

- Carregar uma garrafinha para colocar água ou o que você achar melhor, quando for para a escola ou para eventos
- Lavar seus pés com uma toalhinha ou dançar de sapato
- Reformar, emprestar, trocar, alugar ou comprar roupas usadas de DV
- Comprar menos de tudo!

Atualmente, tenho visto um aumento na busca por roupas usadas e/ou trocas na DV (até porque os preços  das novas não ajudam a consumir muito) e quem mais percebe que repetimos as roupas somos nós mesmas (caso você esteja preocupada).

Eu faço isso que eu citei como soluções. E vocês? Mais soluções "ecológicas" para sugestão?

Bauce kabir,
Hanna Aisha
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...