Translate this blog!

sábado, 21 de fevereiro de 2015

7ª Night Mix Arabic Brasil – Expressão & Arte em cena

O evento 7ª Night Mix Arabic Brasil – Expressão & Arte em cena visa promover apresentações de mostras, concursos e workshops de altíssimo nível, com participantes das academias de dança da cidade do Rio de Janeiro e de todo o Brasil.

Apresentamos, pela primeira vez no Rio de Janeiro, Deborah Valério (SP) e Natália Piassi (ES)!

E ainda os profissionais cariocas: Darah Hamad, Khalida Zareen, Paula Gelailete, Aisha Zareen, Simone Gonçalves, Claudia Moppe, Mahira Safie, Hannan Bellydance, Aline Mucci, Luciana Midlej, Maiah Suad, Samra Sanches, Natalia Trigo, Samara el Said, Elaine Rollemberg, Silvia Marques, Shaira Sayaad, Jhade Sharif, Ranna Al Jalilas, Raphaella Petting (EUA), Amir Ferreira, Virginia Chaves, Izlene Cristina, Raphaela Barreto e Samyr Hazid.

Direção:
Darah Hamad

Apoios:
Revista Shimmie, Asmahan Escola de Artes Orientais, Samara el Said Costumes, Amaren Internacional Festival e Hanna Aisha

Patrocínio do local onde realizará workshop:
Studio Nefertari Dança do Ventre

Informações e Inscrições:

Cronograma do evento:
Sábado - 30 de maio
Abertura às 14:00h
Inicio – 14:30h às 18:30h
Gala Stars Show - 19:00h às 22:00h

Local:
Teatro Marista São Jose
Rua Conde de Bonfim, 1067 – Tijuca

Domingo - 31 de Maio 
Workshop com Natália Piassi
Tema: "Técnicas de elementos surpresa: para enriquecer seu repertório em dança do ventre de uma forma que impressione o público"
10h às 13h

Workshop com Deborah Valério
Tema: "Em cena - quem sou no palco? Vamos construir a atitude e a motivação necessária para que a bailarina entre em cena dominando, não só técnica, mas a atitude e segurança para entreter o publico. O que é entretenimento na dança árabe? Como montar sua playlist: escolhendo a música correta para o show correto! Como sei meu estilo? Identidades,  desenvolvimento de segurança e aptidão para lidar com improvisos e diferentes plateias.  A bailarina numa visão mais artística e ampla: saindo do lugar comum para tornar se única. O salto alto e sua diferença na dança árabe - como e quanto utilizar (sequências e atividades práticas durante o work)
14h às 17h

Local:
Studio Nefertari – Unidade Copacabana 
R. Siqueira Campos, 43 sala 203 – Copacabana

Pontos de Venda dos ingressos:

Studio Nefertari Dança do Ventre - Unidade Barra da Tijuca 
Av. das Américas, 555 / cob. 303
Tel: (21) 2493-7200
Studio Nefertari Dança do Ventre - Unidade Copacabana 
Rua Siqueira Campos, 43 / 203
Tel: (21) 2548-6389
Espaço Mosaico
Rua Gago Coutinho, 66 / loja F - Laranjeiras 
Tel (21) 2557-6922 / (21) 2225-7623
Studio de Dança Jalilah´s - Unidade Olaria 
Rua Leopoldina Rêgo, 542 / salas 101
Tel: (21) 3868-3806
Studio El Said
Rua Prof. Vitor da Silva, 32 - Realengo
Tel: (21) 2143-8083
Espaço Turquesa - Stúdio de Danças Maiah Suad 
Av. Ministro Lafaete de Andrade, 221 - Comendador Soares (Nova Iguaçu)
Tel: (21) 3103-6201
Escola de Danças Kelimaski
Rua Marechal Trompowski, 103 - Muda - Tijuca – RJ
Tels.: 55 21 2268 0450 / 55 21 3286 5208
Espaço de Artes Khalida Zareen
Rua Jornalista Mario Galvão,56 – Vila Kosmos

Se preferir pagar por cartão de crédito ou deposito bancário, por favor solicite via email - starmixdancer@gmail.com

Acessem:
http://www.darahhamad.com.br

Meu primeiro contato com a Dança do Ventre foi em 2002. Em 2005, consegui o registro no sindicato dos profissionais da dança do ventre (SPDRJ: Reg.Mtb 36.457 – 26/07/05). Para ampliar meus conhecimentos, participei de cursos e workshops com renomados nomes da Dança. Fui atuante por 10 anos como dançarina dentre os seguintes estabelecimentos: Restaurante Amir (Copacabana), Restaurante Al Khayam (Centro), Habib's (Vila Valqueire), Restaurante Beduino (Centro), Clube Monte Líbano (Lagoa), Empresa Infraero (Galeão) e outros eventos comerciais particulares. Produtora do evento Night Mix Arabic Brasil desde 2010, apresentando as profissionais top da cidade maravilhosa Rio de Janeiro e convidadas especiais. Possuo diversos prêmios e o selo de qualidade Khan el Khalili conquistado em 2008. Atualmente, ministro aulas na "Asmahan Escola de Dança do Ventre" desde 2006, realizo workshops, aulões, bancas de avaliação, shows em eventos empresariais e familiares no Rio de Janeiro e adjacências. Contatos:

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Estágio em Dança do Ventre

Shaira Sayaad, minha única professora regular
eu, como aluna em 2006
Você é médica, bióloga, administradora, enfermeira, professora de português? Não importa; se você tem ou teve outra profissão, provavelmente, teve de fazer um estágio supervisionado antes de se formar. Seria estranho se não fizesse isso, certo? Por quê, então, o mesmo não pode ocorrer dentro da profissão de bailarina de Dança do Ventre? Por quê a pressa em profissionalizar?

Eu tive a oportunidade de acompanhar por dois anos as aulas de iniciantes da minha professora antes de ir dar aulas e tenho certeza que foi uma das melhores coisas que aconteceram na minha preparação como profissional. Porque não cheguei tão crua ou intimidada na sala de aula. Comecei dando apenas alongamento, eventualmente, dando um ou outro passinho, até substitui-la em sua ausência.

Hoje não dou aulas da maneira que comecei (que bom evoluir!) e a cada ano, me sinto mais madura na hora de programar desde a matéria anual até aulas particulares. Nada como a experiência própria! Mas, isso não me impede, até hoje, de tirar dúvidas com minha antiga professora com relação à comportamento e tomada de decisão envolvendo minhas alunas.

Ayla Mansur: semente e futura professora
Se você é aluna e quer tirar o DRT, sonda sua professora com relação à disponibilidade de estagiar sob sua supervisão. O tempo que você vai precisar estagiar, vai depender bastante de você, mas diria que acompanhar um ano, pelo menos, é legal, pois você pode participar, por exemplo, na elaboração de coreografia para a festa de final de ano. Lembre-se que técnica, noções estéticas e didática são os elementos básicos que uma aspirante a professora em Dança do Ventre deve ter. Você tem os 3?

Se você é professora e tem alguma aluna que está querendo profissionalizar, por que não pensar em um estágio supervisionado por você? Assim, você terá a oportunidade de dividir experiência, tirar dúvidas e ficar mais segura com seu fruto, afinal, ela provavelmente, te terá como exemplo de professora e aula durante os primeiros anos como profissional.

Não existe nenhum tipo de "perda de tempo" nisso tudo, para ambos os lados. A aluna vai testar se tem jeito/paciência para dar aulas e a professora ganha experiência, revendo seu próprio jeito de dar aulas. A não ser que ocorra algum tipo de briga de ego... mas aí é um pouco de azar, não?

Aqui, o vídeo da Ayla Mansur, como meu primeiro convite à ela para dançar profissionalmente no Zahra Sharq, depois de tantos anos como minha aluna:


Boa sorte!
E me conta suas experiências aqui, seja como traineé ou professora!

Bauce kabir,
Hanna Aisha
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...