Translate this blog!

sábado, 24 de maio de 2014

Desconstruindo leituras (16)

Um puta baladi e Maia Bailarina e a Elis Pinheiro simplesmente me fizeram esquecer que era um baladi, pois suas leituras foram igualmente diferentes e maravilhosas e me prenderam os 11 minutos inteiros!



Bauce kabir,
Hanna Aisha

sábado, 10 de maio de 2014

Técnica e Expressividade

Sugiro que vocês escutem esse podcast, antes de ler meu post.

Acho que essa busca pelo equilíbrio entre técnica e expressão é a coisa mais difícil da Dança do Ventre. E no nosso caso, é pior pois precisamos desenvolver também uma habilidade técnica que envolve uma cultura a qual não vivemos e conhecemos muito pouco.


Eu acompanho o trabalho da Jamilah tem uns anos porque acho a técnica dela realmente limpa e impecável. Mas ela não entra para minha lista de bailarinas inspiradoras porque lhe falta expressão. Expressão no sentido de conquista de plateia mesmo. Não que ela não tenha expressão, pois ela tem, ela não fica com cara de parede. Mas, sempre que vejo os vídeos dela, me falta aquele "Nossa, que linda!" no final...

Já a Leila, que também acompanho tem um tempo, me causa outra sensação; aquela de encantamento. Sua técnica é incontestável e sua expressão é sempre muito graciosa e prazerosa.


Tem uma hora que a técnica está tão sedimentada, limpa, aliada à segurança e confiança no próprio trabalho que a expressão passa a se destacar e a plateia é conquistada, não importa seu estilo, leitura, roupa, cabelo, nada.


Ao contrário do que a Nar disse no podcast, não acho que devemos apenas sentir para apresentarmos uma boa expressão durante a dança, pois ela pode ser treinada e desenvolvida. Você é contratada para dançar em algum lugar e treina suas músicas, mas por algum motivo, você passa por alguma situação triste. O que você vai fazer? Transmitir tristeza na sua dança? É importante sim desenvolver esse controle. [Eu entendi perfeitamente o que a Nar quis sugerir - deixar as expressões "montadas" de lado e deixar fluir mais o sentimento. Mas eu quis falar sobre isso pois sei que existem professoras que utilizam esse discurso de forma literal. Eu não concordo com esse discurso.]

Desenvolver essa expressão natural e segura demanda tempo e experiência sim. Claro que existem pessoas que desenvolvem isso mais cedo que as outras, por isso essa maturidade não significa tempo; ela pode vir antes, dependendo de sua história corporal e da sua personalidade.



Logo, meninas, acalmem-se, pois sua expressão se desenvolverá, contanto que você seja bem orientada por algum profissional e treine. Sim, expressão se treina assim como seu quadril! Uma dica é ensaiar sua expressão junto da sua coreografia, não confie nunca de que ela estará pronta e sairá perfeita no momento da apresentação. Vários fatores podem atrapalhar sua concentração na hora e sua expressão, estando treinada, fica mais fácil de sair, mesmo sob pressão.

Minha professora já dizia: "Ensaio pobre, show pobre". Vale o conselho!

Bauce kabir,
Hanna Aisha
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...