Translate this blog!

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Dança com o punhal - você sabe dançar?

Texto revisto em 23/05/2012

Em 2007, eu e minha grande amiga Haynna Al-mudarissa, bailarina também daqui do Rio, concorremos como dupla no Mercado Persa em São Paulo com o punhal. Na época, eu postei no meu multiply um texto sobre a Dança do Punhal, mas hoje posto ele com algumas modificações e comentários a mais.

Poucas pessoas sabem utilizá-lo de forma coerente e bonita. Quando o punhal não é subutilizado, ele o é de forma muito agressiva ou erótica, o que não me agrada. Eu, particularmente, acho essa nossa coreografia muito bonita, até hoje (apesar de achar que a harmonia poderia ter sido melhor), mesmo eu achando também que eu não caibo muito nessa dança. É um duelo em que uma de nós morre. E ponto. Esse é o significado. Aprendi com a Shalimar Mattar os significados dos movimentos, mas, hoje em dia, estou começando a desacreditar nessas representações. Mas acho que elas ajudam BASTANTE a montarmos um roteiro, um enredo e foi o que fizemos na coreografia. Espero que vocês gostem!


Nesse vídeo, apesar de não ter quase nada árabe, o punhal também é utilizado em contexto de duelo:



Abaixo, informações que eu juntei pela internet da vida (filtrada por mim) e pela Shalimar.


DANÇA DO PUNHAL OU ADAGA

Elemento Ar - Deusa Lilith
Versão da dança da cimitarra. Quase nada se sabe sobre sua origem, mas alguns acham que ela surgiu nos bordéis da Turquia, quando as européias eram escravizadas e levadas aos bordéis (1600-1700); época em que os Mouros raptavam as mulheres a mando do Sultão da Turquia. O punhal era um instrumento de defesa e de comunicação entre a bailarina e a plateia. Outra ideia é de que era realizada pela odalisca predileta do sultão para mostrar seu poder às outras mulheres do Harém, provando que ele tinha total confiança nela.
Representa a morte, a transformação e o sexo. Era uma reverência à deusa Selkis, a rainha dos escorpiões.
A dança do punhal é uma dança forte, portanto a bailarina deverá usar músicas fortes. Ela foi vista pela primeira vez sendo executada pela bailarina norte-americana Jamila. Não é considerada folclórica. Para os ciganos o punhal é um símbolo que purifica as energias.
Ela pode ser executada de forma alegre ou mais introspectiva, como um duelo entre duas ou consigo mesma. As cores utilizadas no figurino são preto, roxo ou azul. O preto representa justiça, sabedoria e o retorno à terra. No Egito, é símbolo de fecundidade, fertilidade da terra e introspecção. Ele absorve e transmuta as energias negativas, transformando-as em positivas. O roxo é energia transmutadora, que nos conecta aos planos espirituais.

Significado de alguns movimentos com o punhal
- Punhal com a ponta para fora da mão: a bailarina está livre; com a ponta para dentro, está comprometida
- Punhal no peito: demonstração de amor
- Punhal no meio dos seios com a ponta enfiada no decote: sexo
- Punhal na testa com a ponta para baixo: magia
- Punhal na horizontal da testa: assassino
- Punhal nos dentes: desafio, destreza
- Equilibrar o punhal no ventre: destreza
- Bater o punhal na bainha: chamado para dança
- Punhal entre as mãos, sinuoso: Homenagem a alguém da plateia


Aqui, Brysa Mahaila dança com um ar mais "aciganado":



Para mim, uma bailarina que dança muito bem punhal, mas nenhum vídeo dela está disponível com ele é a minha amiga Jaqueline Campos. Porque ela se identifica. E identidade é uma coisa muito importante para que a expressão na sua dança saia mais natural e tocante. Quer dançar punhal? Vá fundo! Mas o faça apenas se sentir à vontade senão ficará caricata como a maioria dos vídeos do youtubíu.

Mais sobre Dança com punhal.

Bauce kabir,
Hanna Aisha
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...