Translate this blog!

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Dança com a Espada

Existem muitas lendas envolvendo espada ou punhal. Não é muito difícil imaginar o por quê, pois é uma das armas de defesa dos árabes e é bastante associada aos ciganos.

Patricia Bencardini conta em seu livro "Dança do Ventre - Ciência e Arte" que uma das histórias remete à época de guerra entre turcos e gregos. Os otomanos teriam contratado algumas bailarinas para levarem vinho e dançarem para os soldados inimigos. Quando estivessem embriagados, elas deveriam pegar suas espadas e outras armas para dançar, facilitando o ataque do grupo inimigo. Outra lenda diz que grupos de beduínos atacavam viajantes que passassem perto de seus territórios, no deserto, durante a noite, para roubar as mercadorias que transportavam. Os mercadores eram mortos e as mulheres beduínas ficavam com suas espadas e para comemorar a vitória da tribo, elas dançavam, exibindo-as como troféus.

O vídeo abaixo, para mim, ilustra mais esse clima "tribal":



Já a bailarina Shalimar Mattar (SP), diz que as mulheres passaram a manusear a espada para comemorar a vitória dos homens do deserto em guerras ou que elas limpavam as armas e passaram a brincar com elas. Em 1980, a bailarina norte americana Dalal fez uma apresentação com a espada, a qual a bailarina Gisele Bomentre aprendeu, levando pro Líbano e fazendo "ressurgir" essa dança no Oriente Médio.


A espada é como qualquer acessório em dança do ventre: é preciso estar segura e à vontade com ele para diminuir a chance de deslizes e os movimentos saírem bonitos. Logo, se está mais ou menos, não o faça, é melhor treinar mais um pouco.


Eu, particularmente, acho que espada é um elemento muito performático e não consigo associá-lo a nada muito árabe não. Talvez, até, me sugira um pouco de sensualidade. E as músicas, quais usar? "Com tanta música moderna por aí, por que usar taqsim balady?", já diria Nadja el Balady. Concordo. Acho que as músicas modernas combinam mais, apesar de não haver regra de música para uso com a espada.



Logo, por quê não, duas espadas, dentro da rotina clássica?


Você sabe mais alguma coisa sobre esse tema ou quer dar sua opinião? Escreve aqui!

Bauce kabir,
Hanna Aisha

Um comentário:

  1. Tb acho a espada mais performática e a associo mais a músicas modernas... Gostei muito do texto!

    Bjs,

    Marinéa Vianna

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...