Translate this blog!

segunda-feira, 9 de abril de 2012

O que faz uma bailarina NÃO querer viver de dança?

Outro dia, tive um súbito momento em que desejei viver só de dança. Mas segundos depois, voltei à realidade. Esse post, DE MANEIRA ALGUMA, é pessimista e é contra a ideia de se viver de dança. NÃO. Mas sim, existem pessoas que poderiam, mas não querem. Por quê?

Já escrevi porque uma bailarina larga a DV. Dinheiro, casamento, gravidez, novos projetos... mas e aquelas que não a tem como primeira profissão (como eu)?

Um resumo sobre minha opinião e uma junção de inúmeras conversas que já tive por aí com outras bailocas:

Instabilidade financeira: esse é um ponto importante (senão o principal) e nem preciso incluir aqui os gastos que fazemos com roupas, eventos e aprimoramento. Para bailarinas que não possuem escola de dança, depender de manter uma quantidade razoável de alunas dá frio na barriga. Além disso, é basicamente necessário estar vinculada (não importa a forma) aos grupos que coordenam os restaurantes para divulgação constante e dinheiro extra. Fora, o fato de que seria ainda bem melhor se você fosse convidada para fazer festas particulares ou ministrar cursos com certa frequência. Daí, para isso, o famoso QI é fundamental.

Acho que só isso é um grande e bom motivo. Mas há outros:

- Não ter paciência para lidar com estrelismo e ego alheios;
- Organizar eventos constantemente, esperando que eles nunca lhe causem prejuízo e sim, o mínimo de lucro;
- Não ter jeito ou ter medo de abrir e manter uma escola de dança;
- Decepções constantes com eventos e pessoas, porque a fofoca/intriga, "amiga", é grande e parece inevitável, mesmo que às vezes, você fique na sua.

...daí, a dança acaba em segundo plano, do jeito que começou. Minha querida Lory escreveu um texto que complementa esse post de certa forma, vale a pena ler. Vera também já falou sobre isso!

A maioria das alunas, quando começa a aprender DV, tem mais de 18 anos e já tem alguma faculdade na cabeça ou já tem um outro emprego. São poucas as que largam as carreiras para viver de dança.

Tá. O que faz então as alunas chegarem a cogitar essa possibilidade? Acho que daí é tema para um post futuro!

Mais paz no coração e mais boca fechada para todas nós!

Bauce kabir,
Hanna Aisha

5 comentários:

  1. Os meus motivos: eu preciso de estabilidade pra viver; eu tenho uma profissão que eu amo e não pretendo abandoná-la; a dança é meu hobby - não quero obrigação mercadológica nenhuma com ela. E tô bem assim. E me parece que vc também... ;-)

    ResponderExcluir
  2. Oi Hanna,Eu vivo hoje em dia só de dança e não me acho uma raridade e nem sortuda porque sei de tudo que passei pra ter minha renda vinda só disso.

    "Não ter paciência para lidar com estrelismo e ego alheios;
    - Organizar eventos constantemente, esperando que eles nunca lhe causem prejuízo e sim, o mínimo de lucro;
    - Não ter jeito ou ter medo de abrir e manter uma escola de dança;
    - Decepções constantes com eventos e pessoas, porque a fofoca/intriga, "amiga", é grande e parece inevitável, mesmo que às vezes, você fique na sua."

    Isso tem em qualquer lugar! Se alguém desistiu é porque realmente não era sua missão e sua verdadeira essência. Que advogado nunca se decpcionou com o meio, que médico nunca se perguntou o que está fazendo no pequeno conslutório onde pacientes só reclamam, que empresário nunca lidou com o medo de sua empresa quebrar, que estudante de faculdade não sentiu que no fundo ter diploma pode não significar sinal de estabilidade? Que engenheiro não ficou sem dormir por ter sua obra mal falada? Que cirurgião não teve de pagar cursos caríssimos, para se manter no mercado, que banqueiro não leva na cara quando seus investimentos caem?????

    Pra mim, não seguir por esse tipo de coisa que citou é tudo desculpa. Não existe mar de rosa, não existe lugar com seres humanos que não haja sentimentos humanos como inveja, trapaça, competição e maledicência. Eu não continuo no meio só porque eu supero isso que tem em qualquer lugar, eu continuo investindo porque existem coisas MARAVILHOSAS também e que pra mim superar todo e qualquer medo de continuar.

    Dá pra viver de qualquer coisa nessa vida, se souber investir, se souber administrar, se estudar, dar o sangue, procurar se envolver com pessoas certas e saber driblar as erradas, se o foco for tal que te leve sempre pra frente e sem a ilusão que um dia tudo será perfeito da maneira como sonham.
    Eu decidi viver de dança exatamente quando vi que tudo isso que nos ocorrem e falam tão mal acontece até dentro de um supermercado! Não adianta fugir, as relações são reflexos de nós mesmos. Quem sai da dança alegando não ter futuro dificilmente encontrará futuro em outra coisa se a dança for aquilo que lhe toca o coração e a alma.

    É paz no coração, boca fechada e muita CORAGEM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falar o que depois das tuas palavras? Rs.. Concordo, as maledicencias tem em qualquer local de trabalho, na dança pode ser maior pois lidamos com imagem, mas tb existem outros lugares que tb dependem da imagem e deve rolar o mesmo tipo de coisa, com a diferença que lutamos por caches menos miseráveis, por competição desleal.. mas enfim, isso tb acontece lá fora.. Afinal quantas profissoes por aí nao chegam nem perto do piso salarial proposto?

      Excluir
  3. Olá!

    Me identifiquei bastante com tuas palavras.Eu abandonei faculdade para viver de dança , montei um estúdio aqui em Bh, cidade onde vivo e me dediquei a esta escolha por 12 anos.A minha escola era bem sucedida, tinha muitas alunas e uma ótima reputação mas, acabei abandonando este caminho ha alguns anos.Foi uma junção de fatores que me fez tomar esta decisão.Cheguei no ponto entre ter que decidir ser bailarina ou empresária.Sei que a competitividade me incomodava muito além das vaidades e da obsessão pela perfeição ( técnica e muitas vezes estética).Sinto saudade de algumas coisas mas quando me lembro da pressão que eu vivia, sinto um alívio por ter a vida que tenho hoje.Acredito que viver de dança no Brasil será sempre um grande desafio. Além de morarmos em um país que não tem muita tradição em reconhecer a cultura como um elemento chave para a evolução de uma sociedade ainda temos que conviver com uma certa "rejeição" de muitas pessoas em relação a dança do ventre.É muito difícil divulgar e defender uma cultura que não é a nossa sendo que a própria cultura brasileira ainda continua perdida.Voltei para a faculdade e agora sou gestora e fiz um curso na área de Gestão Cultural.Adoro todas as manifestações artísticas.Hoje em dia danço eventualmente mais quando estou inspirada sem aquela obrigação de antes.Estou muito mais feliz.Cada um tem que seguir seu coração e ter a humildade para reconhecer que cada um possui um caminho a ser percorrido.

    Abraços,

    Michele Gil

    ResponderExcluir
  4. Primeiro, eu acho que tem que amar MUITO a dança. Isso é muito mais do que parece ser... porque todo mundo acha que ama a dança, e não é bem assim se formos mais profundo. Viver de dança, envolve questões que estão além do bem-estar, da paixão, que você sente ao dançar (por mais competente que você seja). Sério, pra mim tem que haver um compromisso absurdo que nem sempre a galera está disposta, ou consciente disso (e então surge a desistência) e aí vem o segundo motivo que você citou que a estabilidade financeira... Se vc não tem o pique pra fazer da dança seu trabalho principal (que é OUTRA VIBE cara...) a questão financeira com certeza não será algo mt estável... pq tem que rolar uma procura, um esforço (tanto de estudo, como de contatos, como de trabalhos que tlvz vc nem queira fazer como "artista") etc...

    Agora a Zahra Li disse que se a pessoa quer consegue...Não sei! Por que é uma relação complexa. Pra chegar lá...é necessário investir...e pra vc investir precisa de $$$$ e de onde isso surge? De um trabalho... Vc trabalhando em outra coisa, o seu trabalho é um fator problemático para a sua dedicação dentro da dança (claaaaaaaaro dependendo do q é...de qnto vc ganha bla bla bla..estou só problematizando a afirmação).
    E se vc nao trabalhar e começar a viver de dança enquanto há pouco ou quase nada de retorno, significa pouco $$$..e pouco $$$ significa pouca possibilidade de investimento naquilo msm, em cursos, viagens, roupas, etc...
    Posso estar errada, mas foi algo que eu pensei.

    Eu já acho o tema "pq alguem larga tudo e vai viver de dança" mais interessante, pq me é alheio isso rsrs muito fora do real. Exatamente por causa das questoes q levantei... A nao ser q a pessoa "possa" fazer isso..ai td bem né.. ;)

    Beijos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...