Translate this blog!

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Estilo Libanês de Dança do Ventre

Post revisto e reescrito em 16/04/16

Aqui no Brasil, o estilo libanês de Dança do Ventre ainda é bem pouco conhecido e muito menos praticado. À primeira vista, eles são bem parecidos, mas existem certas características que o diferencia do estilo egípcio, que é o mais comum entre as bailarinas, além do norte-americano e argentino, que utilizam muito o jazz. As músicas com leitura libanesa costumam ser mais impactantes, com um Dabke comumente em algum momento da música.

As bailarinas costumam ser muito mais interativas com o público, os movimentos de quadril são mais fortes e o sapato alto, é obrigatório. Não sei por que (alguém me explica?). Mas vejamos a eterna Samara:


A leitura musical é diferente e o espaço é mais utilizado também, com muitos giros, camelos, tranquinhos e twists. Nossa inconfundível Amani com seu famoso "oito de corpo todo":


As roupas são menos discretas e/ou mais ousadas. Aqui, temos a famosa Howaida El Hashem:


Mais contemporânea que as de cima, temos a Sahara:


Cambrês enormes e movimentos no chão também fazem parte. A famosa Dina Jamal:


Hoje, as bailarinas brasileiras que trabalham para o empresário Omar Naboulsi representam esse estilo lá fora e as que voltaram pro Brasil, têm procurado difundir esse estilo (como Esmeraldah, Warda Maravilha, Fabiana Tolomelli). Nossa querida do Rio de Janeiro Élissar representa o estilo libanês atual com muitos cabelos e giros, além da ousadia de cantar em árabe. A expressão costuma ser muito mais extrovertida que a do estilo egípcio, pela própria roupagem das músicas mesmo.


Estilo libanês é alegria e entretenimento! É uma opção para quem não se identifica muito com a introspecção do estilo egípcio, tão bonito quanto. Ninguém é obrigado a gostar, mas que ele existe e tem crescido aqui, é inegável.

Olha que vídeo legal sobre o estilo:


Vai lá na Dunia e no Almanack para saber um pouco mais!

Bauce kabir,
Hanna Aisha

10 comentários:

  1. Olá!!

    Muito legal esse post.
    Pessoalmente, eu gosto mais do estilo egípcio, mas admiro e respeito o estilo libanês. Acredito que sempre podemos encontrar características que nos identificamos e aí, podemos formar um estilo próprio, sem precisar copiar ninguém.

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  2. Amada q linda falar de mim no post, brigada pela memoria! Alias o post ta mto bom parabens! Eu concordo com o comentario a cima, o importante é captar o q interessa em cada estilo e criar o proprio estilo. Apesar do meu proprio estilo ter se tornado praticamente libanes por eu estar dançando no Líbano há 2 anos eu não me privo de passos egípcios, arabesc, tremidos " de tensão" etc... o importante é ser feliz dançando.
    beijao enorme espero q esteja td bem ai
    sucesso!!!

    ResponderExcluir
  3. Olá querida! Achei seu blog por acaso e estou adorando! cada post muito informativo! O que mais me agradou foi como vc fala sobre as dificuldades de entrar nessa área(dança e artes) pois a maioria das pessoas confunde nosso trabalho como hobby... eu particularmente odeio isso....recebo por dia no mínimo 3 ligações de pessoas pedindo para eu me apresentar DE GRAÇA, para mostrar meu trabalho...afff...em troca de divulgação (absurdo!!!!!) e eu li também o que vc escreveu sobre a quantidade de pessoas "certificadas" ou habilitadas....porque essa pressa? um bom profissional precisa estar anooooos e anoooos trabalhando para se fazer um bom nome....enfim...desabafei também!.kkkkkk
    desculpe....
    um abraço

    ResponderExcluir
  4. AMEI O POST!
    GOSTO MUITO DOS DOIS ESTILOS, O QUE IMPORTA É FAZER BEM FEITO O QUE SE PROPÕE!

    PARABÉNS HANNA, TÁ UM ARRAZO!

    ResponderExcluir
  5. Eu gosto muito do estilo das russas (Nour, Daria e Aida...só conheço essas). Vc sabe se elas chegam a formar um estilo? bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sarah

      A Nour é bem diferente da Aida, que é diferente da Daria... não sei se elas compõem um estilo próprio ainda... não parei para estudar esse tópico... beijos, volta sempre!

      Excluir
  6. Adorei o post.
    Confesso que sou apaixonado pela introspecção e poesia do estilo egípcio, mas o estilo libanês também é uma delícia de se ver.

    Gosto da alegria, do jeito faceiro... Dina Jamal, Elissar e Esmeralda foram as "responsáveis" por eu gostar deste estilo.

    Sónão acho muito legal o fato das roupas serem muito ousadas, dependendo da bailarina, uma dança linda pode ficar um pouco vulgar... Nesse quesito acho que nada bate uma bela saia godê, cinturão e top...rs

    Parabéns pelo blog.

    Michel

    ResponderExcluir
  7. Adorei! Amani, que não conhecia, me hipnotizou. Não tenho vigor para esse estilo, mas é revigorante (sim, a palavra perfeita)! Quanto ao salto, uso ortopédicas há 11 anos...se rolar uma dança com salto ***flex, posso ousar :-)

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pelas postagens e pelos insights!
    A influência aqui é forte porque a quantidade de libaneses que vivem aqui é imensa, mas quase não há egípcias, em termos de proporção.
    O libanês encara a dança como festa, então concordo 100% com sua fala sobre entretenimento.
    Beijos e parabéns!
    Rebeca Bayeh

    ResponderExcluir
  9. Ola minha linda como vai...Muito obrigada por me citar, e dividir um dos meus videos, no post de danca com bastao...
    Olha o uso do salto alto aqui, nao posso dizer que e necessariamente obrigatorio, pois ja vi bailarina libanesa e outra egipcia aqui dancando sem salto. Mas realmente quando vim dancar aqui, me foi dito que era obrigatorio usar salto, mas pela minha experiencia de 18 anos dancando em paises arabes, o que aprendi sobre o salto aqui, e o fato de eles acharem mais chique para o palco.E aqui a maioria do publico sao libaneses entao eles gostam desse estilo mais show off, tipo, estou no palco, me olhem kkkkk...
    Beijao minha linda!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...